O efeito Doppler

O que é o efeito Doppler?

O efeito Doppler é um fenômeno físico que ocorre quando há uma mudança na frequência de uma onda, seja ela sonora, luminosa ou de qualquer outra natureza, devido ao movimento relativo entre a fonte emissora da onda e o observador receptor. O efeito foi descoberto pelo físico austríaco Christian Doppler em 1842, ao estudar a mudança na frequência do som emitido por uma locomotiva em movimento.

Como funciona o efeito Doppler?

O efeito Doppler ocorre de forma que, quando a fonte emissora da onda está se aproximando do observador, a frequência aparente da onda é maior do que a frequência real, e quando a fonte está se afastando do observador, a frequência aparente é menor. Isso ocorre porque as ondas emitidas quando a fonte está em movimento são comprimidas ou esticadas pela própria movimentação, alterando o comprimento de onda e, consequentemente, a frequência.

Exemplos do efeito Doppler em nosso cotidiano

Um exemplo comum do efeito Doppler é o som de uma ambulância ou carro de polícia passando por uma rua. O som da sirene é agudo quando o veículo está se aproximando e fica mais grave quando está se afastando. Outro exemplo é a mudança na cor aparente de uma estrela que está se afastando da Terra, devido ao desvio para o vermelho causado pelo efeito Doppler na luz emitida pela estrela.

Aplicações do efeito Doppler em diversas áreas

O efeito Doppler possui aplicações em diversas áreas, como na medicina, onde é utilizado em exames de ultrassom para medir o fluxo sanguíneo e a velocidade do sangue em veias e artérias. Na astronomia, é utilizado para determinar a velocidade e direção do movimento de estrelas e galáxias. Na aviação, é utilizado em radares para medir a velocidade e direção do movimento de aeronaves. O efeito Doppler também é utilizado em sistemas de navegação por satélite, como GPS, para corrigir erros de posicionamento causados pela distorção no tempo de voo dos sinais de satélite.