Interferômetro de Michelson

O que é um interferômetro de Michelson?

O interferômetro de Michelson é um dispositivo óptico que é utilizado para medir pequenas variações em comprimentos de onda, além de ser um instrumento muito utilizado na física quântica e na óptica. Ele foi inventado por Albert Michelson em 1887 e desde então, tem sido um instrumento fundamental na pesquisa científica.

Como funciona o interferômetro de Michelson?

O interferômetro de Michelson funciona utilizando um feixe de luz que é dividido em dois caminhos distintos. O feixe de luz passa por um espelho semi-refletor que o divide em duas partes, o que resulta em dois feixes de luz que seguem caminhos diferentes. Esses dois feixes são refletidos por espelhos diferentes e, em seguida, se encontram novamente no espelho semi-refletor, onde são recombinaods. No final, os dois feixes de luz que foram separados anteriormente se sobrepõem e interferem, produzindo um padrão de interferência.

Aplicações do interferômetro de Michelson

O interferômetro de Michelson tem diversas aplicações, como em testes de qualidade óptica, testes de precisão dimensional, e testes de compressibilidade de líquidos e gases. Ele é amplamente utilizado em física quântica, astrofísica e na pesquisa de ondas gravitacionais.

Exemplo de uso do interferômetro de Michelson

Um exemplo de uso do interferômetro de Michelson é na pesquisa de ondas gravitacionais. Albert Michelson e Edward Morley usaram seu interferômetro para tentar detectar a presença do éter luminífero – um meio hipotético que supunha-se permear todo o espaço – mas não obteve sucesso. Já em 2015, cientistas do Observatório de Ondas Gravitacionais por Interferometria Laser (LIGO) utilizaram o interferômetro de Michelson para detectar as ondas gravitacionais geradas pela colisão de dois buracos negros.